12/05/2016

Feitiço de Boa Sorte na Sexta-feira 13.


Ninguém sabe realmente como surgiu a ideia da sexta-feira treze azarada, há muitas lendas envolvidas, se sabe que era uma data celebrada pelos povos antigos, e que ainda é comemorada em algumas partes do mundo. Mas as origens se diferem,  e cada um acaba acreditando no que mais lhe agradar.
Para muitas bruxas, não há energias maléficas na sexta-feira 13, e nem acreditam que gatos pretos dão azar (eu tenho dois).
O que acontece é que atraímos energias, então se você acredita em azar nessa data, muitas coisas ruins acontecerão, mas se não acredita, poderá até passar por debaixo de uma escada que nada te ocorrerá!

Vamos aproveitar as energias que estão no ar, além de aproveitar a lua crescente que vem hoje!

O Feitiço da Boa Sorte

O melhor momento para executar esse feitiço é durante a lua crescente (o dia que ela entra é o mais poderoso). Você precisará de uma vela para representar a si mesma em qualquer cor, além disso também irá precisar de velas nas cores branca, preta e laranja.

Acenda a vela que representa a si mesma e diga: “Essa sou eu, em todas as coisas.”
Acenda a vela preta e diga: “Essa é toda a má sorte que tem arrastado os meus passos. Problemas, decepções e lágrimas estão aqui. Essa má sorte agora me deixa para sempre.
Acenda a vela branca e diga: “Tudo o que era ruim é neutralizado. Toda a minha má sorte é dissipada.
Acenda a vela laranja e diga: “Essa é a boa energia vindo em minha direção, para que minha vida tenha movimento e sua mudança seja acelerada.

Sente-se em silêncio por um tempo e visualize as energias negativas sendo levadas para dentro da vela branca e dissolvendo-se nela. Visualize a vela laranja construindo a boa energia e a boa sorte, veja o ambiente vibrando com as novas possibilidades e oportunidades. Deixe as velas queimarem completamente (tome as precauções habituais de segurança).





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo